Em 8 de março de 1917, cerca de cem mulheres das fábricas têxteis de Petrogrado decidiram entrar em greve; elas foram a outras fábricas e chamaram suas colegas de trabalho para as ruas. Em pouco tempo, cerca de 200 mil trabalhadoras – lideradas pelas mulheres – marcharam pelas ruas. “Abaixo a guerra”, elas exigiam. Essa greve desencadeou uma cascata de protestos que finalmente quebraram o Estado czarista e inauguraram a Revolução Russa.

Documentos de Trabalho

The Fate of Xolobeni Would Be the Fate Of Us All

O destino de Xolobeni será o destino de todos nós

Desde 1996, ativistas em Xolobeni, uma região costeira na África do Sul, lutam contra um conglomerado minerador estrangeiro que descobriram que suas terras ancestrais são ricas em titânio.
Apontamentos

10 empresas canadenses de mineração: detalhes financeiros e violações

Matérias primas minerais são necessárias em nossas vidas, mas quando essa vida se vê ameaçada por essas necessidades estruturais, é hora de começar a fazer perguntas.

Alerta Vermelho

Bolívia: entenda o cenário atual do país e as perspectivas para as próximas eleições

Com oito chapas presidenciais apresentadas, o MAS tem como candidatos Luis Arce Catacora, para a presidência, e David Choquehuanca Céspedes, como vice.
Caderno

O iPhone e a taxa de exploração

Nosso segundo Caderno analisa o processo de produção contemporâneo do iPhone da Apple. Vamos de uma visão da produção do aparelho ao funcionamento interno do lucro e da exploração.

Este dossiê oferece uma brilhante introdução a vida e obra de Frantz Fanon, enfatizando a importância política contemporânea de seu humanismo radical, e assinalando que seu trabalho traz uma “irreprimível abertura ao universal” e um compromisso axiomático com o “reconhecimento da dimensão aberta de toda consciência”. Examina, em particular, a contribuição de Fanon como teórico da práxis comprometido em ir além da ordem ontológica e espacial da opressão e empreender uma forma de práxis insurgente e democrática na qual se desenvolve “uma corrente de edificação e enriquecimento recíproco” entre protagonistas de diferentes lugares sociais.
O movimento comunista indiano tem experimentado diversos formatos de policlínicas populares que oferecem atenção de saúde gratuita ou a baixo custo a qualquer pessoa. O epicentro dessa iniciativa está na região de idioma telugu, onde somente a Policlínica Popular de Nelore trata mil pacientes por dia a preços em média 40% menores que os cobrados pelos hospitais corporativos e formou mais de 500 médicos que dão atenção de saúde em toda a região. Nosso dossiê n. 25 do Instituto Tricontinental de Pesquisa Social se dedica a contar a história dessas policlínicas.
Tal ódio não marcou as relações dos EUA com o Irã durante o reinado do Xá (1941-1979). Somente quando um nacionalista na economia chegou ao poder entre 1951 e 1953 e ameaçou nacionalizar a indústria petrolífera do Irã é que a CIA, o Xá e a direita do exército iraniano se posicionaram contra ele. Durante esse período, os reis sauditas e o Xá iraniano uniram-se em uma causa comum contra movimentos populares e comunistas.
Os dois termos que definem nossa época são “crise” e “protestos”; o primeiro é resultado de um sistema mundial que se esgotou, enquanto o segundo expressa um clamor pelo futuro. Nosso dossiê de janeiro se dedica a oferecer uma análise de conjuntura – em que pé está o mundo hoje? Iniciamos este ano com uma avaliação detalhada da austeridade, da ordem mundial bipolar, da exaustão do neoliberalismo e de um planeta de protesto.
Para Colômbia e para os povos de Nuestra América, a paz assume uma complexidade que põe em tensão o conjunto do cenário político e é um eixo central da disputa entre o neoliberalismo e as aspirações populares. Neste novo dossiê do Instituto Tricontinental examinamos as causas estruturais do conflito social, político e armado colombiano e como o país se constituiu em um agente chave na disputa geopolítica regional a favor dos interesses dos EUA.
O dossiê 22 nos apresenta os desafios que enfrentam os movimentos populares da América Latina e Caribe no contexto de uma nova avançada do imperialismo, da direita e dos projetos neoliberais na região. Essas políticas possuem efeitos graves para os povos e têm corroído a legitimidade dos governos que as impulsionam, desenvolvendo novos processos de luta popular e mobilizações, levantes, protestos e resistências. Nesse contexto, é necessário para o pensamento crítico latino-americano refletir sobre os métodos e a capacidade de promover uma subjetividade alternativa antineoliberal, antirracista, antipatriarcal e anticapitalista.